Buscar
  • Teresa Gomes

No Natal bebe-se (mais) Vinho do Porto




Na tua mesa de Natal, seja na Consoada ou no almoço de dia 25, não dispenses a presença de uma (ou várias) garrafas de vinho do Porto. A maioria dos doces de Natal combinam com vinho do Porto, já para não falar dos queijos, também habitual presença à mesa nestas alturas.


Hoje vais viajar por vários países e os seus doces natalícios, aprender algumas receitas onde se incluem Cocktails e como apreciar e harmonizar Vinho do Porto.

Atenção! A leitura deste artigo pode causar desejos incontroláveis por uma fatia (ou duas) de Bolo-Rei e garantidamente um copo de Vinho do Porto no final da leitura…


Comecemos por um clássico

O queijo inglês Stilton é nesta altura do ano uma obrigatoriedade à mesa por aquelas bandas, e é sempre servido com vinho do Porto Vintage jovem. Por cá, um queijo da Serra não lhe fica nada atrás!

O doce e o frutado do vinho com os sabores intensos do queijo, obviamente um “casamento” por opostos (doce/salgado) funciona às mil maravilhas.

A cremosidade e toque picante do queijo azul suporta a fruta intensa de um Vintage jovem, por vezes com carácter vinoso. Evitar queijos de pasta dura.

Na Masterclass de Vinhos & Queijos no mês passado falei de uma receita que faço habitualmente e quero também aqui partilhar contigo. É fácil e deliciosa em qualquer altura do ano.

Uvas Recheadas Com Queijo

Corta ao meio bagos de uva pretas e retira as grainhas

Faz uma pasta cremosa q.b. com queijo Stilton (ou outro queijo azul), manteiga e adiciona um pouco de Vinho do Porto Ruby até teres a consistência desejada.

Preenche os orifícios deixados pelas grainhas com a pasta de queijo e volta a fechar os bagos de uvas.

Podes por um pouco mais de pasta e fazer uma “sanduíche”

Leva ao frigorífico para solidificar (eu costumo fazer de véspera)

Aprecia com um copo de Porto (Ruby Reserva, Crusted, LBV ou Vintage).

Alerta gulosos!

Natal é sinonimo de mesa farta de doces! Ainda antes de irmos aos tradicionais doces Portugueses vamos visitar outros países

Comecemos mais uma vez mais por Inglaterra, ou não fossem os ingleses os responsáveis pelo estilo de vinho fortificado e doce que é hoje o Vinho do Porto.

Por terras de sua majestade, no Natal têm o famoso Christmas Pudding e as clássicas Mince Pies. Ambos deliciosos com um vinho do Porto Tawny, de preferência um 10 ou 20 Anos. Os sabores de frutos secos e especiarias estão presentes, quer nas sobremesas referidas como nos vinhos do Porto deste estilo.

Em França o clássico e elegante Bûche de Noel, uma torta a imitar um tronco, coberta de chocolate e recheada de compota de fruta, combina certamente bem com um vinho do Porto Late Bottled Vintage (LBV). O chocolate rico em cacau e também em taninos, tal como o vinho, pede a frescura de um vinho do Porto jovem, com carácter vinoso.

Nos países nórdicos, Natal sem Gingerbread não é Natal. Há toda uma tradição de bolachas e bolachinhas cortadas onde os sabores a gengibre e a canela dominam. Para acompanhar, pessoalmente prefiro um vinho do Porto Branco, uma Reserva ou um 10 Anos, mas se optar por um Tawny, um Reserva ou 10 Anos, será uma escolha igualmente feliz. A minha opção recai no vinho do Porto Branco porque habitualmente este género de bolachas são bastante doces e o vinho do Porto Branco é menos doce que o Tinto Aloirado (Tawny).

Para o Vinho do Porto se expressar em aroma/sabor bebe num copo de cálice grande, esquece os copos atarracados ou “de licor”. Usa um copo a vinho branco.

Em Itália o Panettone tem honras de destaque muito semelhantes ao nosso bolo-rei e tal como ele, o mesmo tem hoje variadíssimas interpretações.


Por hoje vou referir o clásico Panettone de Milão que leva até três dias a ser feito.

A massa base leva mel à qual se adiciona vários frutos secos mais casca de laranja cristalizada… sim acertaste! Um Porto Tawny é a combinação perfeita. Um 20 ou 30 Anos ou mesmo um Colheita (datado).

Na Dinamarca o doce do dia de Natal é Risalamande uma especie de arroz doce. Ora lê!


Ligeiramente diferente do Português, pois leva natas, amêndoas picadas e zero canela. Acompanhar com um Porto Tawny Reserva será uma delícia.

Curiosamente uma única amêndoa é colocada inteira no Risalamande. Quem a encontrar no seu prato recebe uma prenda. Lembra-te alguma tradição Portuguesa?


A que temperatura deves beber o teu Vinho do Porto?
Brancos: 5-8 ºC
Estilo Tawny e Branco | Envelhecimento Oxidativo: 8-12 ºC
Estilo Ruby | Com corpo: 12-16 ºC

No hemisfério Sul, na Nova Zelândia por esta altura do ano come-se Pavlova.

À base de merengue, coberto com Chantilly e frutas é um “bolo” de textura leve com a acidez das frutas a contrastar o doce. Aqui o tipo da fruta ditará o Vinho do Porto. Segue a regra da cor…

Frutos de cor amarela ou laranja (ananás, manga, laranja) opta por um Porto Fine White e se fores muito guloso um Porto Lágrima.

Se a Pavlova for com frutos do bosque, qualquer Porto de cor igualmente escura (Ruby, Ruby Reserva) será uma fantástica harmonização.


Cocktails com Vinho do Porto?!

Podes e deves inovar com vinho do Porto! Alguns são Cocktails clássicos de Inverno como o Port Flip que leva uma gema de ovo ou o Port Toddy, um clássico Nova Iorquino que nesta versão para dais frios, o Vinho Do Porto substitui o Wisky.

Pessoalmente gosto de Egg Nog morninho ou um simples cacau quente. Ambos com uma dose “simpática” de Vinho do Porto, são quase uma sobremesa líquida. Além que é prático, pois, podes preparar uma grande quantidade antes dos convidados chegarem a tua casa. Só tens de manter morno.

Porém, se preferes bebidas frias, este Natal vais fazer sucesso se fizeres um Ponche de vinho do Porto Rosé para dar as boas-vindas aos teus familiares e amigos.

Provavelmente de onde lês, é Inverno, ou está mesmo a nevar, contudo, uma bebida de Aperitivo quer-se sempre servida fria.

Ponche Pink

1 parte de vinho do Porto Rosé

1 parte de sumo de romã

½ parte de Espumante Natural Bruto

Morangos cortados e outros frutos vermelhos

Folhas de menta qb.

Junta tudo numa saladeira grande, caso não tenhas a taça para Ponche, e mexe.

Serve em pequenas canecas de vidro ou em copos.

Doçaria Portuguesa

Por último, se pensa que a mesa dos doces de Natal está incompleta com o bolo-rei, as broas, as rabanadas, os sonhos, as filhoses, o pão de ló, as azevias de grão, a aletria doce ou os formigos, podes ainda adicionar um Pudim de Ovos e mais algumas garrafas de Vinho do Porto.

Admito que todas as sobremesas acima descritas ficam muito bem acompanhadas de um Porto envelhecido em madeira, ou seja, os Tawnies. Ou Brancos com Indicação de Idade, sobretudo as que são fritas e sem canela.

Em algumas, várias, o Vinho do Porto é até um dos ingredientes.


Se preferes Rubies, está tudo bem. No final não importa qual bebas, desde que a uma temperatura refrescada, em copo de vinho branco e em companhia de familiares e amigos.



Boas festas com paz, saúde e Vinho do Porto!

icon_Teresa7.png