top of page
Buscar
  • Foto do escritorTeresa Gomes

Prepara-te para 2024 com estes 21 vinhos portugueses

Fui entrevistada pela revista Noble & Style e a maioria das perguntas foi sobre o meu percurso profissional, dicas de vinho e, claro, vinhos portugueses! A entrevista não está disponível em Português, por isso, decidi partilhar aqui no Blog uma tradução adaptada. Inclui também a recomendação de 21 vinhos portugueses, perfeitos para adicionares à tua lista de compras.




copos com vinhos portugueses, branco, rosé e tinto




Se acabaste de chegar aqui ao Website pela primeira vez, permite-me falar um pouco sobre o meu trabalho como Sommelier e Educadora de Vinho Português desde 2004, partilhando uma das perguntas pessoais feitas pela Noble & Style.


Qual aspeto do seu trabalho lhe dá mais satisfação?

Estou muito satisfeita com o meu trabalho, seja a liderar uma degustação de vinhos para um público grande ou pequeno, a criar conteúdo envolvente nas redes sociais ou a partilhar conhecimento sobre vinhos portugueses com profissionais, ou entusiastas.

No entanto, o que verdadeiramente me satisfaz é encontrar pessoas que expressam ter entrado na indústria do vinho porque foram inspiradas pela minha jornada. Da mesma forma, receber congratulações sinceras de consumidores de vinho por ajudá-los a navegar pelas complexidades do mundo do vinho de forma mais acessível é profundamente gratificante para mim.



Foi uma conversa muito agradável e, durante a entrevista, uma das perguntas que mais gostei de responder foi esta:


Existem conceções erradas comuns sobre o vinho que gostarias de corrigir?

Existem, de facto, várias conceções erradas sobre o vinho, incluindo conceções recentes como as noções sobre vinhos minerais ou naturais.


No entanto, como portuguesa, gostaria de abordar um mal-entendido comum que persiste entre muitos portugueses relativamente ao Vinho Verde.


Vinho Verde, não é um tipo de vinho. Em vez disso, refere-se a uma área geográfica, ou seja um Denominação de Origem Portuguesa. Semelhante a outras conhecidas como Douro, Bairrada ou Alentejo.

Vinho Verde designa uma área específica de origem, situada na região noroeste de Portugal. O Vinho Verde é conhecido por produzir principalmente vinhos brancos, juntamente com rosés, tintos e espumantes.

Os amantes de vinho podem estar familiarizados com um estilo de vinho branco desta região que é geralmente leve, refrescante, baixo em teor alcoólico, alto em acidez, com aromas exuberantes, por vezes deixando um ligeiro toque doce no final de boca.


No entanto, é importante notar que, na região do Vinho Verde, os produtores também fazem vinhos brancos que se desviam dessas características. Embora ainda exibam uma acidez notável, possuem mais personalidade, teor alcoólico mais elevado, complexidade e um final seco. Na verdade, têm potencial de envelhecimento semelhante a alguns dos melhores vinhos brancos do mundo.


Em resumo, Vinho Verde refere-se à Denominação de Origem do vinho e não define as características específicas do vinho em si.




Fiquei também contente com esta pergunta e por poder esclarecer que o vinho tinto não deve ser bebido à temperatura ambiente! Nem mesmo no inverno!

No entanto, a entrevista aconteceu durante o verão, por isso guarde estas dicas para o verão de 2024, a menos que estejas agora no hemisfério sul. Nesse caso, aproveita!


Poderia partilhar uma dica profissional para servir ou combinar vinhos com os nossos leitores?

Claro! Durante o verão, prestar atenção à temperatura a que se desfruta do vinho torna-se crucial. Para simplificar, recomendo colocar todos os vinhos no frigorífico no dia anterior ao serviço.

Os Escanções muitas vezes têm caves de vinho com temperatura controlada no local de trabalho. No entanto, partilharei algumas dicas práticas que pode facilmente implementar em casa. O único item que precisa adquirir é um termómetro para vinho.


Lembre-se que os vinhos tintos proporcionam mais prazer quando consumidos a uma temperatura não superior a 18°C. Num dia quente, se planeia desfrutar de um tinto não envelhecido, uma temperatura de cerca de 15°C é ideal. Retira a garrafa do frigorífico aproximadamente dez a quinze minutos antes da refeição. Alternativamente, pode usar um balde de gelo se esqueceu de a arrefecer antecipadamente.


É importante notar que temperaturas abaixo de 5°C podem adormecer as nossas papilas gustativas. Os frigoríficos domésticos geralmente operam em torno de 2-3°C. Pode descobrir que tem consumido vinhos brancos e rosés a temperaturas excessivamente frias. As temperaturas ideais de serviço para estes vinhos no verão são cerca de 7°C, ou 10°C se tiverem envelhecido em barrica.

Pela minha experiência, usar um congelador para arrefecer rapidamente vinhos numa emergência não é ideal, pois pode comprometer o aroma e o sabor.


A temperatura tem um grande impacto na nossa perceção da qualidade de um vinho. Em muitos casos, os produtores de vinho fornecem orientações no contra rótulo sobre a temperatura recomendada de serviço. Alternativamente, não hesite em pedir conselhos no momento da compra do vinho.



Durante a entrevista, perguntaram-me sobre os meus vinhos portugueses brancos, rosés e tintos favoritos do momento, incluindo alguns Champagnes.


Poderia partilhar os seus vinhos tintos favoritos adequados para uma noite mais fria? Qual a razão destas escolhas?

Sim, posso. Se a noite estiver mais fria, acredito que qualquer pessoa apreciará mais um vinho encorpado e suave, seja no Verão ou no Inverno. Se a preferência for para o vinho tinto, optar por vinhos de regiões quentes ou com teor alcoólico mais elevado pode proporcionar as sensações que mencionei anteriormente.


Os entusiastas do vinho português têm uma inclinação pelos vinhos das regiões do Alentejo e Douro. As minhas preferências neste momento vão para vinhos de projetos recentes: Natus (Alentejo) e Firmamento (Douro).


No entanto, se estiver à procura de vinhos com mais estrutura e taninos, exploraria os vinhos da região da Bairrada. A casta Baga, por exemplo, produz vinhos com estas características, como o vinho Giz Vinhas Velhas.


Agora, considerando uma noite de Verão mais fresca, os vinhos das regiões de Lisboa ou Palmela seriam uma excelente escolha. Os vinhos tintos destas regiões tendem a ser mais moderados em termos de corpo, robustez e teor alcoólico.


A influência dos ventos do Oceano Atlântico, do solo, da presença de castas autóctones e colheitas tipicamente generosas contribuem para tornar os vinhos tintos destas regiões perfeitos para a estação de verão. Os meus favoritos são Pirata (Lisboa) e Vale de Touros Vinhas Velhas Reserva (Palmela).



Poderia recomendar cinco dos seus Champagnes favoritos para momentos memoráveis?

Esta é uma pergunta desafiadora, devido a certos factos. Primeiro, tornou-se difícil encontrar Champagne de alta qualidade em Portugal nos últimos dois anos. Num tom positivo, Portugal está experienciado um aumento notável na produção de vinhos espumantes excecionais, o que é verdadeiramente emocionante. Além disso, desenvolvi um carinho particular por vinhos Pet Nat.


Dadas estas circunstâncias, permita-me partilhar o que poderia ser a minha lista de vinhos espumantes para um momento memorável.


  1. Gosset Celebris Rosé Brut (Champagne)

  2. Vertice Pinot Noir Bruto (Douro)

  3. Protótipo P1 Pet Nat Rosé (Távora Varosa)

  4. Quinta do Rol Blanc des Blancs Grande Reserva Extra Bruto (Lisboa)

  5. Da Pedra Se Fez Espumante White Extra Bruto (Açores)



Mais uma vez, se estiveres a ler isto num dia quente, aproveita a lista de vinhos brancos e rosés portugueses abaixo, especialmente escolhidos para o Verão.


Quais são os seus cinco vinhos brancos favoritos para a estação de verão, e com o que os serviria?

Durante os dias quentes de Verão em Portugal, as refeições são predominantemente centradas em peixe grelhado, mariscos e ocasionalmente carne branca. Como um petisco clássico pós-praia, muitos optam pela opção de frango assado para levar. E quando se trata de encontros familiares, um churrasco com carne de porco e enchidos assume o protagonismo.


Para complementar estes pratos, certifico-me sempre de ter uma seleção de vinhos brancos prontamente disponíveis em casa durante o Verão. Estes vinhos devem ter um caráter jovem, exibindo acidez refrescante, um perfil de corpo médio e, em alguns casos, um curto envelhecimento em barrica.


Para a estação de verão em particular, as minhas escolhas preferidas de vinho são as seguintes:

  1. Bico Amarelo (Vinho Verde)

  2. Quinta de Baixo Vinhas Velhas (Bairrada)

  3. Purista Fernão Pires (Lisboa)

  4. Esporão Reserva (Alentejo)

  5. Etnom (Açores)



Quais são os cinco vinhos rosés favoritos e com que pratos os casaria?

Adoro vinho rosé e não percebo por que são tão subestimados. Os vinhos rosés oferecem de facto uma combinação deliciosa da acidez fresca encontrada nos vinhos brancos e os taninos normalmente associados aos vinhos tintos, tornando-os uma escolha perfeita para os dias de Verão.


Aqui estão os últimos cinco vinhos rosés que me deixaram impressionada:

  1. Saroto (Trás-os-Montes)

  2. Assobio (Douro)

  3. Allgo (Dão)

  4. Magnolia Rosa (Lisboa)

  5. Badula (Tejo)

  6. Morgado do Quintão Palhete (Algarve)


Um estilo de rosé interessante que vale a pena mencionar é o Palhete, que utiliza técnicas ancestrais de vinificação e ganhou popularidade recentemente. Os vinhos Palhete resultam da cofermentação de uvas brancas e tintas.

Em termos de harmonização, os vinhos rosés secos podem ser maravilhosamente versáteis e complementar uma ampla gama de pratos vegetarianos. Também são fáceis de combinar ao desfrutar de uma variedade de pratos à mesa, que chamamos "petiscos" em Portugal. Pessoalmente, opto sempre por vinho rosé para acompanhar sardinhas grelhadas, uma combinação deliciosa. Quando se trata de rosés ligeiramente mais doces, combinam excepcionalmente bem com pratos picantes.



Se quiseres saber mais sobre vinhos portugueses comigo, eu organizo provas e cursos de vinhos presenciais para empresas e particulares. Contacta-me!



Aqui estão os links para a entrevista completa em English, Espanol, Italiano e Deutch.

Comentários


icon_Teresa7.png
bottom of page