Buscar
  • Teresa Gomes

10 Recomendações em como escolher vinho no restaurante

Na hora de pedir o vinho, as opções são muitas. Podes pedir a garrafa mais barata ou uma cara (especialmente se o momento for especial). O importante é saber qual o tipo de vinho que pretendes beber para que possas comunicar devidamente os teus desejos ao Empregado de Mesa. Neste artigo, dou dez recomendações em como escolher vinho num restaurante que farão com que a escolha da tua próxima garrafa seja um acto fácil e agradável.



Agora que voltamos a ir “comer fora” tinha mesmo de partilhar contigo algumas das táticas que eu própria uso quando tenho de escolher vinhos num restaurante.


A partir de hoje ao abrir uma Carta de Vinhos vais deixar de ter receio em escolher um vinho. Vais conhecer dez formas de como tornar essa escolha fácil e até mesmo agradável.

Estou muito entusiasmada com este artigo, pois acredito que vai poder ser muito, mesmo muito útil para ti.


Em muitos restaurantes, quando não há Escanção, nós enquanto clientes, somos deixados um pouco ao abandono no que toca à escolha dos vinhos. Quero com isto dizer que o acto de sugerir vinho, ou mesmo comida, no momento da entrega da Ementa e da Carta de Vinhos não é habitual em Portugal. O Empregado de Mesa chega para receber o pedido e apenas esclarece alguma dúvida que seja colocada.


Tu sofres mentalmente porque tens de tomar uma série de decisões – Entrada? Prato principal? Peixe? Carne? Com batata ou arroz? Salada? Uma dose ou partilhamos? Além das outras 3,7 milhões de decisões que já tomaste nesse dia.

Entretanto abres a Carta de Vinhos e… mais decisões – Branco? Tinto? Mono casta? Copo ou garrafa? Qual região? Etc, etc…

Como tornar este processo de escolha de vinho sem dor?


Eis dez recomendações que eu aprendi e desenvolvi ao longo de vários anos. Algumas foram da pior maneira, cometendo erros e fazendo más escolhas. Quero evitar que aconteça o mesmo contigo, por isso aqui estão as dez recomendações.


#1 Faz o trabalho de casa

Cada vez mais os restaurantes têm websites com a Ementa e a Carta de Vinhos.

Gosto de experimentar restaurantes novos e como tenho algumas limitações alimentares adquiri o hábito de procurar conhecer a ementa antes de fazer a reserva.

Já me aconteceu também escolher o restaurante apenas por causa da Carta de Vinhos.

Por isso, vai ao website e dá uma espreitadela aos vinhos antes de ires para o restaurante e seleciona três ou quatro que gostarias de beber.

Ao chegar ao restaurante apenas terás de perguntar se estão disponíveis e caso seja importante para ti, os anos da colheita.


#2 Escolhe o vinho com base no restaurante

Vais almoçar a uma marisqueira? A caminho do restaurante começa a pensar que tipo de vinho branco ou rosé gostarias de beber.

Se em alternativa vais a uma Steak House, faz o mesmo raciocínio, pensando em tintos. Acontece que na verdade vais a um restaurante de cozinha regional… quais são os vinhos dessa mesma região que tu gostas?


#3 Pede um aperitivo

À chegada ao restaurante, começa por pedir um vinho a copo, como um Espumante, um branco/rosé bastante seco ou até um vinho do Porto Branco Extra Seco como aperitivo. Isso vai deixar-te mais relaxado e com mais tempo, para leres e releres a Carta de Vinhos sem a pressão de teres de escolher no imediato.

Até pode-se dar o caso de gostares tanto do copo de vinho que acabas por pedir uma garrafa do mesmo.


#4 Parte à descoberta

Escolher vinhos de regiões menos populares é por vezes uma boa surpresa. Habitualmente esses vinhos não são tão pedidos, poderás assim beber uma colheita mais antiga e no final estarás a “pagar” pelo vinho e não tanto pela marca ou fama da região.


É muito habitual em restaurantes tradicionais alguns destes vinhos estarem nas cartas por alguma relação de amizade ou laços familiares com o proprietário ou Gerente do restaurante.

São um verdadeiro achado!


#5 Sem ideias… pergunta

Continuas indeciso sobre o vinho a escolher, apenas sabes que queres beber vinho tinto. Então pergunta ao Empregado de Mesa quais são os dois ou três vinhos tintos que os clientes do restaurante mais pedem.

Com base na resposta, vê qual dos vinhos poderá ir de encontro ao teu gosto e qual está dentro do teu orçamento.


#6 Ai os preços

Muitos restaurantes ainda praticam uma margem de três ou quatro vezes mais. Um vinho que compras no supermercado por 7€ pode muito bem estar num restaurante a 21 ou 28€ a garrafa. Ou seja, pagas três a quatro vezes mais! Se identificares esta situação cabe a ti, decidir se queres mesmo beber vinho ou não. Vai depender da ocasião, o quanto queres mesmo beber vinho e se esses Euros de alguma forma fazem sentido pela qualidade do serviço de vinhos e categoria do restaurante.


#7 Escolhe o vinho com base no que vais comer

Esta minha recomendação exige já um conhecimento de vinhos de nível intermediário

Parte da comida para o vinho. Menos habitual, o oposto também é possível.

Seleciona o vinho com base no que vais comer, pondera acidez, taninos e corpo do vinho com a proteína, método de confeção e molho do prato.


#8 É dia de festa e ficaste encarregado de escolher o vinho

Nestas situações invariavelmente calha-me a mim e qual é a tendência? Perguntar branco ou tinto e escolher apenas um vinho. Grande asneira!

Pergunta antes a cada pessoa, o que gosta de beber e com base nisso pede vários vinhos.

Mais convidados, se não todos, vão acabar por beber um vinho de que realmente gostam.


#9 Usa o teu Smartphone

Provavelmente vais precisar dele para aceder à Carta de Vinhos, porém aqui a minha sugestão é pesquisares sobre o vinho. Eu costumo faze-lo para verificar o açúcar residual em vinhos rosés, aprendi da pior forma de que nada serve perguntar ao Empregado de Mesa se o vinho é seco ou doce. Da mesma forma verifico por vezes as castas e o tempo de estágio em madeira, para adequar a escolha à ocasião.


#10 Pede para ver as garrafas

Eu faço isto regularmente. Ou voluntario-me para ir até ao armário aonde elas estão.

Por vezes os nomes nada me dizem, porém, como tenho mais memoria fotográfica, ao ver o rotulo reconheço o vinho, permite também verificar o ano de colheita.

Já me aconteceu ver garrafas que não estavam na Carta de Vinhos (falta de actualização) e ter muito boas surpresas.


Da próxima vez que fores a um restaurante sem Escanção ou Empregado de Mesa com conhecimento em vinhos já estás munido de dez (!) táticas para escolheres o vinho ainda antes do cesto com pão chegar à mesa.


Qual é a recomendação que vais pôr em prática na próxima vez que fores a um restaurante?

Conta-me em baixo nos comentários.

icon_Teresa7.png